Fale conosco pelo WhatsApp

Hérnia Umbilical

Homem representando a hérnia umbilical

A hérnia umbilical, abaulamento que surge no umbigo, é muito comum em crianças e adultos. A condição deve ser acompanhada por médicos especialistas no tratamento de hérnias, provendo assim uma plena recuperação ao paciente.

Assim como as demais hérnias da região abdominal, a hérnia umbilical é resultado da invasão de órgãos ou gordura para parte exterior do abdômen, por meio de um orifício originado na parede abdominal. Essa formação anormal na região do umbigo geralmente é indolor, mas existem casos de dores fortes no local que podem levar o paciente a um procedimento cirúrgico de emergência.

Na clínica Hernia Care você conta com médicos cirurgiões estudiosos das hérnias na região do abdômen, além de contar com equipe multidisciplinar especializada no assunto para prover o melhor tratamento e a plena recuperação da patologia.

Principais dúvidas sobre a Hérnia Umbilical

A hérnia umbilical pode ser diagnosticada quando visível aos olhos o abaulamento (a formação de um nódulo) no umbigo ou bem próximo a ele. Esses nódulos costumam ser pequenos, não ultrapassando 2,5 centímetros, e ficam mais evidentes quando o paciente faz qualquer tipo de esforço físico, como tossir.

Quando não perceptíveis aos olhos, podem ser indicados alguns exames de imagem da região abdominal, sendo eles simples de serem feitos. É importante ressaltar que o tratamento da hérnia umbilical ocorre apenas por cirurgia, sendo que demais orientações servem apenas para amenizar possíveis sintomas da condição.

Nos casos mais graves, em que ocorre o encarceramento ou estrangulamento da hérnia (quando o conteúdo da hérnia fica preso), o quadro pode se agravar sendo que os sintomas comuns nesses casos são:

  • Dor abdominal intensa e contínua;
  • Obstipação/ prisão de ventre;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Febre;
  • A hérnia passa a apresentar vermelhidão ou até um tom azulado.

Tais situações necessitam de intervenção cirúrgica de emergência. Caso o paciente não seja tratado de forma precoce, o tecido que perdeu circulação sanguínea morre e pode acarretar em uma infecção grave e trazer risco à vida. Logo, consultar-se assim que perceber o surgimento de qualquer abaulamento no abdômen ajuda a reduzir drasticamente os riscos aos pacientes.

A região umbilical da parede do abdômen apresenta uma fraqueza natural por ter abrigado o cordão umbilical durante a vida embrionária, ou seja, ainda na gestação. O seu surgimento está atrelado, na maioria dos casos, ao dia a dia do paciente. São mais predispostos a desenvolver hérnia umbilical pacientes que:

  • Que trabalham carregando peso;
  • Que praticam exercícios físicos de alta intensidade;
  • Pacientes fumantes;
  • Que apresentem doenças do colágeno ou aneurisma de aorta;
  • Gestantes, devido ao aumento do volume abdominal.

O único tratamento possível para hérnia umbilical é cirúrgico. Atualmente, existem três tipos distintos de cirurgias de correção da patologia. Entenda cada uma das técnicas a seguir:

Cirurgia aberta/tradicional: O cirurgião faz uma incisão na região umbilical e retorna a parte do órgão que se deslocou. Para impedir a reincidência da hérnia, o cirurgião sutura e fecha o orifício. Em alguns casos, é necessário a implantação de uma tela para reforçar a parede por onde surgiu a hérnia.

Cirurgia laparoscópica: A técnica, trazida ao Brasil na década de 90 pelo Dr. Sérgio Roll, usa uma câmera acoplada em uma cânula para a cirurgia. Três pequenas incisões são feitas: duas para instrumentos e uma para câmera. Essa técnica geralmente é usada para hérnias de tamanho maior ou que já foram operadas anteriormente. O uso de tela para reforçar a região também pode se fazer necessário.

Cirurgia robótica: assim como às duas metodologias citadas anteriormente, na robótica a única diferença é que um robô, guiado pelo médico-cirurgião, é quem faz todo o procedimento.

Em todos os casos os pacientes são anestesiados, sendo que essa anestesia pode ser geral ou sedação com anestesia local. Excetuando-se as hérnias umbilicais de grande tamanho, as cirurgias de tratamento da hérnia no umbigo são tidas como de pequeno porte, geralmente necessitando apenas de 24 horas de internação. O paciente que seguir toda a prescrição médica pós-cirúrgica, em 15 dias retomará às atividades cotidianas.

O acompanhamento de uma equipe multidisciplinar pode colaborar à plena recuperação. A indicação desse acompanhamento parte do médico que trata o paciente e a indicação varia em caso a caso. Por isso é indicado que o paciente procure por aconselhamento especializado, para minimizar as chances do surgimento de uma nova hérnia no umbigo.

O tempo médio de recuperação após a cirurgia para tratamento da hérnia umbilical é de duas semanas, ou seja, 15 dias. Não é necessário um tempo prolongado de internação, sendo esse período, em geral de, no máximo, 48 horas. Os cuidados mais específicos são em casa, sendo eles:

Repouso: É necessário repouso nos primeiros dias após a cirurgia. Isso evita qualquer esforço que possa atrasar o processo de cicatrização ou acarretar em outras complicações.

Nada de exercícios: É importante que o paciente não pratique exercícios nem carregue peso por, pelo menos, 30 dias após a cirurgia de hérnia umbilical. Passado esse período é indicado que ele retome a prática de exercícios segundo a recomendação do seu médico.

Higienização: É solicitado que o paciente tome banho e deixe a região da cirurgia sempre limpa e seca. Caso o paciente identifique sangramento ou secreção purulenta no local, ele deve procurar o médico imediatamente.

Alimentação: Para impedir que o paciente se esforce para evacuar ou apresente prisão de ventre, é solicitada uma dieta repleta de fibra para facilitar o processo fisiológico do organismo.

Medicamentos: Pode ser aconselhado ao paciente o uso de analgésicos e antibióticos no pós-operatório, a depender de cada caso. Siga a sua prescrição e faça todas as consultas de retorno com o cirurgião. Isso garantirá uma recuperação rápida e sem complicações.

Por mais que na maioria dos casos o tratamento não seja complexo, os cuidados após a cirurgia de hérnia umbilical garantem uma plena recuperação, assim como minimizam a possibilidade do surgimento de um novo abaulamento na região.

Agende uma Consulta

Sergio Roll
CRM 44231

  • Doutorado em Medicina pela USP
  • Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Minimamente Invasiva e Robótica
  • Ex-Presidente da Sociedade Americana de Hérnia

Atendimento particular
de segunda à sexta,
das 09h00 às 18h00.

Preencha o formulário e aguarde nosso contato
ou se preferir, ligue no (11) 4324-4695.