Fale conosco pelo WhatsApp

O que é hérnia ventral?

Um dos tipos de hérnia ventral
27jun, 2019

A hérnia ventral se caracteriza por um abaulamento, ou seja, nódulo perceptível aos olhos, localizado na região anterior abdominal. Trata-se de um termo genérico que engloba todos os tipos de hérnias da parede anterior do abdômen.

A hérnia ventral é uma condição que requer cuidados. Isso porque, dependendo dos sintomas, o caso pode ser grave e exigir auxílio médico imediato. Saiba mais sobre como surge este tipo de hérnia e como ela pode ser tratada.

O que causa a hérnia ventral?

Os órgãos que ficam na cavidade abdominal são protegidos por várias camadas de tecidos até a pele. Normalmente, esses tecidos têm força suficiente para manter os órgãos no lugar. Essa condição acontece quando ocorre um enfraquecimento desses tecidos, abrindo caminho para que partes de um ou mais órgãos se projetem para fora e resultem em uma saliência na pele.

Esse rompimento do tecido pode acontecer por uma questão congênita, ou seja, por um defeito no fechamento da camada que reveste os órgãos abdominais, ou pelos seguintes fatores:

  • Após a gestação;
  • Histórico de cirurgia abdominal;
  • Esforço extremo e repetitivo;
  • Tosse constante;
  • Doenças do colágeno;
  • Tabagismo;

A hérnia abdominal pode ser dividida nos seguintes tipos: hérnia ventral incisional; hérnia ventral umbilical; hérnia ventral epigástrica e hérnia de Spiegel. O que difere uma da outra é a sua localização, e se existe algum antecedente de cirurgia abdominal aberta prévia.

Quais os sintomas da hérnia ventral?

Os sintomas da hérnia abdominal podem ser bastante similares ou até mesmo imperceptíveis quando estão no estágio mais inicial da doença. O sinal mais comum é a protusão na pele – que deixa a aparência de um nódulo na região.  O que determinará o tipo de hérnia na região ventral é o local em que esse abaulamento surge.

No entanto, existem alguns indícios que mostram o agravamento da hérnia ventral, que ocorre quando o órgão que se projetou fica preso na abertura da parede abdominal, acarretando encarceramento. São eles:

  • Vermelhidão;
  • Dor abdominal;
  • Sudorese;
  • Náuseas;
  • Febre;
  • Vômito.

Como é o diagnóstico e tratamento?

O exame físico é o primeiro procedimento que o médico especialista fará para diagnosticar a hérnia abdominal. Além de ouvir o relato do paciente, o profissional também poderá solicitar uma ultrassonografia ou tomografia no abdômen para obter informações sobre a hérnia — como seu tamanho, por exemplo.

A cirurgia é o único tratamento para promover a cura dessa hérnia. Entretanto, a técnica utilizada para fechar a abertura da parede abdominal será determinada pelo médico em consultório. Hoje existem três técnicas distintas de cirurgia de correção da hérnia ventral: por via aberta, laparoscópica ou robótica.

Vale a pena ressaltar que nos casos graves de hérnias encarceradas ou estranguladas, a intervenção cirúrgica deve ser realizada o mais rápido possível, pois, existe um risco maior à vida do paciente.

A hérnia ventral pode aparecer em qualquer pessoa, desde crianças até adultos e idosos. Portanto, saber identificá-la – sobretudo no seu estágio mais grave – é fundamental para solucionar a questão com agilidade e voltar à rotina com mais tranquilidade.

cta-equipe

Fonte: Ministério da Saúde;

Sociedade Brasileira de Cirurgia Minimamente Invasiva e Robótica (SOBRACIL);

Sociedade Brasileira de Hérnia e Parede Abdominal (SBH);

Hospital Alemão Oswaldo Cruz;

Hospital Sírio-Libanês.

Deixe uma resposta