Fale conosco pelo WhatsApp

O que é Hérnia no Umbigo?

Bebê com hérnia no umbigo
04jul, 2019

A hérnia umbilical, popularmente conhecida como hérnia no umbigo, refere-se ao abaulamento que surge bem rente ao umbigo. A protusão é resultado do afrouxamento da musculatura abdominal que permitiu extravasar, através de um orifício, o conteúdo de algum órgão interno.

Segundo a equipe médica da clínica Hernia Care, a hérnia no umbigo é tida como uma hérnia primária da parede abdominal, que pode acometer o indivíduo ao longo da vida. A incidência dos casos em criança é comum, mas homens e mulher, em qualquer idade, podem ser acometidos com a condição.

Confira a seguir todas as dúvidas sobre a hérnia umbilical ou hérnia no umbigo respondidas pelos médicos-cirurgiões da clínica Hernia Care, espaço voltado exclusivamente ao tratamento da patologia.

Como surgem as hérnias no umbigo?

A hérnia de umbigo (umbilical) é oriunda de um defeito da musculatura da parede abdominal ou enfraquecimento dos tecidos da região, que permitem que ocorra um extravasamento de algum órgão ou até mesmo de gordura presente noabdome.

No caso das crianças esse defeito ocorre pelo não fechamento do canal do cordão umbilical, sendo que ela pode aparecer logo após o nascimento ou nos meses posteriores. Uma curiosidade nos casos dos bebês é que existe grande probabilidade de a hérnia sumir até os três anos. Se passado esse período ela persistir, é necessário o tratamento da hérnia no umbigo. 

Em adultos, a hérnia no umbigo origina-se de esforço repetitivo, ou seja, quem pratica exercícios de forma regular ou costuma carregar peso com bastante frequência pode ser acometido por este tipo de hérnia. Em mulheres a condição pode surgir após o período gestacional, devido ao afastamento da musculatura abdominal durante o crescimento do bebê em seu útero.

Pacientes portadores de doenças do colágeno também têm maior propensão ao desenvolvimento da hérnia umbilical.

Sintomas da hérnia umbilical ou hérnia de umbigo

O abaulamento no umbigo é o principal sintoma de quem é acometido pela patologia. Em pacientes adultos, a hérnia no umbigo pode ser bem dolorosa, em especial durante a prática de exercícios ou durante a ação de tossir. Nos bebês, esse incômodo é maior quando a criança está muito agitada, durante o choro ou quando o bebê faz esforço para evacuar.

As sintomatologias, quando envolvem quadros de dor aguda, enjoos, tonturas e a protusão torna-se avermelhada ou adquire um tom azulado, indicam a necessidade de atendimento emergencial. Tais sintomas implicam no encarceramento da hérnia no umbigo, resultando no corte de suprimento de sangue ao órgão que extravasou e por consequência na necrose.

Desta forma, só a intervenção cirúrgica emergencial fará com que o paciente reestabeleça a saúde.

Tratamento da hérnia no umbigo

Assim como as demais hérnias que podem vir a acometer a parede abdominal, essa protuberância só é removida por meio de uma cirurgia de hérnia denominada de hernioplastia. Atualmente, três métodos cirúrgicos ajudam na remoção da hérnia no umbigo, sendo eles:

  • A cirurgia aberta, tida como a forma tradicional de correção da patologia;
  • Cirurgia por videolaparoscopia;
  • E a cirurgia robótica, sendo a técnica mais moderna na medicina na atualidade, e tendo Dr. Sérgio Roll — idealizador da clínica Hernia Care — como um dos cirurgiões gabaritados na execução dela.

A identificação do protocolo cirúrgico mais apropriado para tratar o quadro de hérnia no umbigo cabe ao cirurgião e sua equipe. É importante salientar que, mesmo que a hérnia umbilical não traga incômodos ao paciente, corre-se o risco de a patologia evoluir para algo mais grave. Desta forma, quanto antes o paciente se submeter à hernioplastia, mais rápida será a recuperação da hérnia no umbigo.

cta-equipe

Fontes:

Ministério da Saúde;

Revista USP.

Deixe uma resposta